Acesse agora
Conecte-se. uma rede social para encontrar e oferecer ajuda.

Alan Edelstein

É consultor de negócios & humano com formação em Administração de empresas pela Universidade Mackenzie. Trabalhou por 11 anos na Johnson&Johnson onde atuou nas áreas de Marketing, Trade Marketing, Vendas e participou do programa de formação de líderes globais na matriz da J&J dos EUA, onde trabalhou por 1,5 anos. Passou ainda pela Natura Cosméticos, sendo responsável pela área de Marketing de Relacionamento. Após isso, decidiu fazer uma mudança de carreira, para trabalhar no mercado esportivo na Brunoro Sport Business, onde atua como consultor de negócios e na área de desenvolvimento comportamental dos colaboradores.

Últimos textos deste autor

Pensativo

Caros amigos e amigas, primeiro desculpas pela ausência no blog nas últimas semanas. Algumas questões acabaram me distanciando da rede ubuntu. Bom vamos lá á estou de volta!

Começo escrevendo sem um tema definido ou uma idéia específica. Vou compartilhar os sentimentos das últimas semanas..venho vivendo uma montanha russa de sentimentos...dias muito felizes, realizado e otimista..tanto profissionalmente como pessoalmente. Outros dias me vem uma agonia por estar pensativo, triste e reflexivo.Provavelmente por estar vivendo novas experiências, seja como um novo relacionamento amoroso, seja por experenciar novas formas de relações familiares como também profissionalmente por estar envolvido em novos projetos e desafios.

Quando não estou “pleno”, ou seja, principalmente com a alegria, leveza e principalmente em paz com o que chamo de fidelidade interna, vem uma tristeza e um vazio...uma ansiedade em resolver as questões e os incômodos rapidamente...para logo voltar ao estado de alegria. Porém tenho procurando deixar rolar um pouco para principalmente entender e ganhar consciência dos sentimentos, permitir mais tempo para as idéias ficarem claras e sólidas. Difícil controlar a ansiedade e a “cobrança” interna...pois a reação natural é achar e “fingir” que as sentimentos estão claros e as coisas estão resolvidas, o que na minha opinião é a pior opção, pois estamos apenas adiando os “problemas”e escondendo a sujeira embaixo do tapete. Como diz o livro “A Trilha menos percorrida”...a vida é difícil para quem de fato quer viver intensamente e encarar os desafios e barreiras da vida.

Enfim neste momento tenho procurando entender e valorizar este momento de reflexão...não sendo vítima e sim protagonista da própria vida...e encarar a escolha feita de crescimento pessoal...para isso sim permitir..as vezes ficar triste, pensativo...pois com certeza o retorno e aprendizados nesses momentos é incrível !

Bom final de semana a todos !
Volto semana quem vem mais leve...rsrsr

Um abraço,

Alan Edelstein

Alan Edelstein

É consultor de negócios & humano com formação em Administração de empresas pela Universidade Mackenzie. Trabalhou por 11 anos na Johnson&Johnson onde atuou nas áreas de Marketing, Trade Marketing, Vendas e participou do programa de formação de líderes globais na matriz da J&J dos EUA, onde trabalhou por 1,5 anos. Passou ainda pela Natura Cosméticos, sendo responsável pela área de Marketing de Relacionamento. Após isso, decidiu fazer uma mudança de carreira, para trabalhar no mercado esportivo na Brunoro Sport Business, onde atua como consultor de negócios e na área de desenvolvimento comportamental dos colaboradores.

Conscientização

Indignado! Essa é o sentimento quando vejo a importância excessiva que o ser humano dá ao dinheiro.Não consigo entender....é a principal doença da sociedade...vejo milhares de pessoas brigando, roubando, arrumando esquemas, passando por cima de tudo e de todos por dinheiro e pior sempre visando o dinheiro fácil.A ambição obsessiva por ganhar mais e cada vez mais dinheiro, para consumir cada vez mais em bens e coisas que as pessoas acreditam cegamente de que sem aquile não conseguem viver ou ser felizes...

Pq tudo isso fico me perguntando?

Ao mesmo tempo que fico indignado, revoltado, por outro lado motivado em fazer alguma coisa para mudar esta questão. Pode ser conscientizando as pessoas do que realmente é importante na vida, ou seja, que encontrem sua essencia e entendam que a felicidade vai muito mas muito além do dinheiro, que podemos sim viver com mais simplicidade e sermos sim muito felizes.Que a felicidade deve passar pela paz com a alma, por curtir família, amigos, desfrutar das pequenas coisas sem pirar muito...

Fiquei pensando em como esse discurso de conscientização poderia gerar impacto e força.Sim pq "sozinho" pregando esse discurso por aí o impacto será praticamente zero...E aí me venho uma idéia de pq não alguma empresa se empenhar nessa causa/movimento aproveitando o positivo "modismo" do investimento de responsabilidade social. Sem dúvida é uma excelente oportunidade de alguma marca instigar, engajar e estimular esse pensamento nas pessoas...despertando as pessoas a refletirem de fato o que é importante na vida...focando as questões humnas de relacionamento e convidando a sociedade em pensar qual será o legado de cada um nessa vida!

Pra mim essa oportunidade é poderosa...por exemplo vocês pararam pra pensar o impacto que a campanha da Master Card tem na atitude das pessoas...ou seja que certos momentos "não tem preço".Pode reparar quantas pessoas que brincam com isso e de alguma maneira acabam vivendo a vida mais intensamente....

A comunicação das marcas para influenciar em algum comportamento é impressionante...um caminho rápido e com coberura, sem falar no ganho para imagem da marca...

Como desafio pessoal vou focar no desenvolvimento dessa causa...ou seja conceituar e formatar melhor essa idéia e para quem sabe apreaentar para alguma empresa...não custa sonharr!!

Um abs,

Alan Edelstein

Alan Edelstein

É consultor de negócios & humano com formação em Administração de empresas pela Universidade Mackenzie. Trabalhou por 11 anos na Johnson&Johnson onde atuou nas áreas de Marketing, Trade Marketing, Vendas e participou do programa de formação de líderes globais na matriz da J&J dos EUA, onde trabalhou por 1,5 anos. Passou ainda pela Natura Cosméticos, sendo responsável pela área de Marketing de Relacionamento. Após isso, decidiu fazer uma mudança de carreira, para trabalhar no mercado esportivo na Brunoro Sport Business, onde atua como consultor de negócios e na área de desenvolvimento comportamental dos colaboradores.

Intimidade

Escrever no blog da Rede Ubuntu vem sendo um exercício de compartilhar idéias, opiniões, visões e valores de vida...fato este que afeta diretamente na abertura da minha intimidade...aquele Alan que só eu conheço e tenho acesso.

Nunca fui muito de abrir esse lado íntimo mesmo com família, amigos e muito menos com "desconhecidos"...

Pelo contrário, nunca compreendi essa necessidade da cultura latina de contar sobre sua vida para qualquer um...desde a compra de um carro,briga com o namorado, a cor do esmalte, a compra de uma roupa nova, problemas com a empregada e até falar sobre a quebra do aspirador de pó. Com o crescimento das redes sociais observo o “boom” para este tipo de comportamento...um prato cheio para o brasileiro sair compartilhando sua vida....e não é sem querer que o Brasil é o país que mais cresce no facebook....

Vejo pessoas mais preocupadas em contar as coisas do que sentir e viver o momento.Não consigo chegar numa conclusão do pq as pessoas precisam disso...talvez por carência, por precisar retroalimentar sua alma com outras opiniões, por se importar muito com a opinião dos outros, por exibição, etc...

Por outro lado sempre fui uma pessoa muito reservada em que sempre escolho as pessoas com quem "abro" minha vida,alegrias e problemas.Talvez pela minha educação mais "dura" e pela escassa comunicação dentro de casa onde raramente eram debatidos a intimidade dos componentes da família. Existe um respeito...ou seja cada um fala sobre sua vida quando estiver precisando e com vontade.Fico incomodado quando imagino pessoas não próximas falando sobre a minha vida,intimidade...sei lá tenho esse comportamento por possuir um perfil mais “low profile”.

Venho como em tudo na vida procurando chegar no equilíbrio.Afinal ser duro como uma pedra não vale a pena.Continuo "escolhendo" com quem divido minha intimidade por outro sem ficar mega preocupado...tentando ser mais leve, compartilhando mais o coração sem se preocupar....

Um verdadeiro desafio..mas com o ganho de consciência no assunto vou evoluindo e segui abrindo meus pensamentos e dilemas neste incrível blog da rede ubuntu !!

Um abraço,

Alan Edelstein

Alan Edelstein

É consultor de negócios & humano com formação em Administração de empresas pela Universidade Mackenzie. Trabalhou por 11 anos na Johnson&Johnson onde atuou nas áreas de Marketing, Trade Marketing, Vendas e participou do programa de formação de líderes globais na matriz da J&J dos EUA, onde trabalhou por 1,5 anos. Passou ainda pela Natura Cosméticos, sendo responsável pela área de Marketing de Relacionamento. Após isso, decidiu fazer uma mudança de carreira, para trabalhar no mercado esportivo na Brunoro Sport Business, onde atua como consultor de negócios e na área de desenvolvimento comportamental dos colaboradores.

Juntar $$$

Por muitos anos convivi com a “verdade” que preciso juntar dinheiro para não passar necessidade durante minha velhice...de fato mais uma das crenças que tento me libertar.... Nos últimos anos dediquei tempo para entender e aprofundar esta questão.

Primeiro fui procurar descobrir de onde veio isso? Da sociedade, da escola, amigos, universidade? Não foi em casa mesmo....sim modelo familiar. Meus pais carregaram isso da geração dos meus avôs. Logicamente a preocupação é legítima....e concordo que o futuro e a velhice devem ser planejados e cuidados com carinho. Mas ultimamente venho tentando equilibrar essa “crença”....percebi que fiquei muitos anos juntando dinheiro pensando no futuro, mas esquecendo de viver o presente...sentindo culpa quando tinha que usar as minhas “economias” seja para fazer uma viagem, seja para comprar um apartamento....como se estivesse usando o dinheiro indevidamente. Venho tentando me libertar dessa culpa e “aplicando” $$ para contribuir na felicidade do momento. Procurando não ficar sempre calculando as economias e projetando quando vou conseguir juntar daqui a XX anos.... Essa nova filosofia que venho procurando seguir tem impacto direto na busca profissional...primeiro por me permitir buscar e experimentar novos trabalhos e formatos e segundo por REALMENTE acreditar que a recompensa financeira virá naturalmente e o melhor engajado em algo realmente prazeroso e com qualidade de vida. Também percebi que a vida pode e deve ser mais simples...de que não precisamos de muito para sermos felizes....estar em paz com a minha alma é o principal.

Logicamente venho aprendendo com a vida que algumas verdades e teorias que criamos hoje, podem mudar no futuro...ou seja as novas variáveis e surpresas que a vida apresenta derrubam as teorias para formar outras. Mas acredito que podemos e devemos ser fiéis a nossa essência durante essas mudanças de vida...é o que eu chamo de fidelidade interna aos seus valores de vida, ou seja, não perdermos nossa essência.

Confesso que este exercício não é fácil, pois cresci com essa realidade dentro da família....e de fato quebrar essa verdade e preocupação dentro de mim não é fácil. Mas aos poucos sinto que vou me libertando, ganhando consciência e procurando viver o presente cada vez mais....

Um abs,

Alan Edelstein

Alan Edelstein

É consultor de negócios & humano com formação em Administração de empresas pela Universidade Mackenzie. Trabalhou por 11 anos na Johnson&Johnson onde atuou nas áreas de Marketing, Trade Marketing, Vendas e participou do programa de formação de líderes globais na matriz da J&J dos EUA, onde trabalhou por 1,5 anos. Passou ainda pela Natura Cosméticos, sendo responsável pela área de Marketing de Relacionamento. Após isso, decidiu fazer uma mudança de carreira, para trabalhar no mercado esportivo na Brunoro Sport Business, onde atua como consultor de negócios e na área de desenvolvimento comportamental dos colaboradores.

Prazer na Profissão

Nas últimas semanas venho mergulhando em antigas questões profissionais....na verdade numa busca de realmente encontrar qual é meu “dom” e o que realmente me faz uma pessoa melhor, feliz e realizada profissionalmente.

Tenho procurado observar e analisar meu grau motivação e satisfação diante de projetos e atividades que me envolvo diariamente. Assim como, em quais aspectos os profissionais e clientes que tenho contato me “compram” ,ou seja, para quais tipos de trabalho e competência sou contratado e demandado.

O aspecto desenvolvimento de pessoas é algo onde naturalmente sou demandado e me entrego com prazer, onde procuro agregar valor nas discussões e principalmente propor novas abordagens e formas. Eu acredito muito na forma....de como desafiar alguém, como cobrar, estimular a resolução de um problema, como elogiar e como criticar. Sem dúvida existe um campo infinito de como melhorar a comunicação no mundo...quantos problemas, conflitos e até guerras poderiam e podem ser evitados. Acho que este “dom” pode ser resumido em ajudar as pessoas a se desenvolverem e serem mais felizes.

Mas voltando a minha busca...outro ponto que venho observando é um aspecto mais estratégico que consiste na criação e formatação de idéias....um prazer em ajudar as pessoas com seus projetos profissionais....em como estruturar e colocar um projeto na prática...fornecendo direcionamento, estratégias, caminhos, contatos e até claro questão financeira....enfim mais uma vez aqui a motivação é ajudar as pessoas para que consigam concretizar idéias e sonhos na prática!

A medida que vou identificando os pontos de motivação, agora estou focando energia para de fato conseguir me envolver em projetos dessa natureza...e claro em como ser reconhecido financeiramente com isso..Talvez um mix de consultor com coaching...algo parecido. Mas sinto que o click ou O PROJETO vai aparecer e me prender de uma maneira apaixonante.

Enquanto isso sigo no meu laboratório de experiências profissionais riquíssimas, as quais vão me dando confiança, aprendizado e experiência para seguir nessa busca com determinação e amor !

Recomendo este exercício....olhar com atenção aos momentos de prazer máximo....pois com isso em mãos aumenta o nível de consciência e a possibilidade de intensificar esses momentos em outros trabalhos e projetos !
Bom final de semana a todos !!

Um grande abraço !

Alan Edelstein

Alan Edelstein

É consultor de negócios & humano com formação em Administração de empresas pela Universidade Mackenzie. Trabalhou por 11 anos na Johnson&Johnson onde atuou nas áreas de Marketing, Trade Marketing, Vendas e participou do programa de formação de líderes globais na matriz da J&J dos EUA, onde trabalhou por 1,5 anos. Passou ainda pela Natura Cosméticos, sendo responsável pela área de Marketing de Relacionamento. Após isso, decidiu fazer uma mudança de carreira, para trabalhar no mercado esportivo na Brunoro Sport Business, onde atua como consultor de negócios e na área de desenvolvimento comportamental dos colaboradores.